Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemail

domingo, 4 de abril de 2010

Religiosos denunciam campanha contra o Papa após escândalos

CIDADE DO VATICANO — "Campanha grosseira" e "maquinação": com estas palavras diversos religiosos da Igreja Católica denunciaram neste sábado no jornal Osservatore Romano e na Rádio Vaticano as acusações que envolvem o Papa nos escândalos de pedofilia que acometem o clero europeu.

O jornal oficial do Vaticano, o Osservatore Romano, na edição de domingo, critica "os ataques caluniosos e a campanha de difamação construída em torno do drama dos abusos cometidos por padres".

Sob o título "Uma propaganda grosseira contra o Papa e os católicos", a publicação cita "as mensagens de solidariedade a Bento XVI que chegam do mundo inteiro", nas quais "diversos bispos expressam apoio ao Papa por suas ações a favor da verdade e pelas medidas tomadas para evitar uma repetição desses crimes".

O jornal cita em particular o cardeal André Vingt-Trois, arcebispo de Paris, que durante a missa da Quinta-feira Santa denunciou "uma ofensiva que tem como objetivo desestabilizar o Papa e, através dele, a Igreja Católica".

Apontou particularmente a "imprensa audiovisual que celebra a Páscoa da sua forma, concentrando durante a Semana Santa as críticas contra a Igreja e à fé cristã".

O jornal do Vaticano cita também o teólogo e poeta monsenhor Bruno Forte, arcebispo de Chieti (Itália), que antevê uma "escalada da cristianofobia, preconceitos e "ataques injustos" contra a Igreja que está "instrumentada, inclusive quando enfrenta corajosamente temas como o dos abusos promovidos por pedófilos".

Na Rádio Vaticano, o cardeal Severino Poletto, arcebispo de Turim, onde o Santo Sudário será exposto a partir de 10 de abril, indignou-se neste sábado com a tentativa de "afetar a grande figura intocável de Bento XVI, que sempre foi claro e intransigente sobre esses temas".

Além disso, a imprensa vaticana cita diversas declarações, como a do chefe do Episcopado espanhol, de arcebispos do México e de Lima, como também do cardeal e arcebispo de Edimburgo, entre outros lugares.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Sample text

Sample Text