Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemail

terça-feira, 13 de abril de 2010

O Dom da Indulgência

Entende-se por indulgencia a remissão perante Deus, da pena temporal devida aos pecados cuja culpa já foi apagada.O caminho da reconciliação tem o seu centro no sacramento da penitencia, mas também depois do perdão do pecado, o ser humano permanece marcado por aqueles “resíduos” que não o tornam totalmente aberto à graça, e precisa de purificação e daquela renovação total do homem em virtude da graça de Cristo, para cuja obtenção o dom da indulgencia lhe é de grande ajuda. A Igreja, é que, enquanto dispensadora da redenção, distribui e aplica, por sua autoridade, o tesouro das satisfações de Cristo e dos Santos. A Indulgência plenária só pode ser obtida uma vez por dia. Mas para consegui-la, além do estado de graça, é necessário que o fiel:

· Tenha disposição interior do completo afastamento do pecado, mesmo só venial (pecados perdoáveis);

· Se confesse sacramentalmente dos seus pecados;

· Receba a Santíssima Eucaristia;

· Ore segundo as intenções do Sumo Pontífice.

As indulgencias são sempre aplicáveis, a si próprio ou às almas dos defuntos, mas não a outras pessoas vivas sobre a terra.

Consiste nas indulgencias jubilares, o cumprimento de algumas obras:

· Obra de piedade ou religião: fazer uma piedosa peregrinação a um santuário ou Lugar Jubilar, como também visitar uma Basílica realizando algum exercício de piedade;

· Obra de misericórdia ou caridade: visitar durante algum tempo algum doente ou necessitado, como também contribuir com obras de caráter religioso ou social;

· Obra de penitencia (pelo menos por um dia): Abster-se de consumos supérfluos, ou fazer abstinência de carne.

Resumo de artigo, dado em Roma, na sede da Penitenciaria Apostólica, 29 de Janeiro de 2000.

Por Anderson Costa

anderson.cardosocosta@yahoo.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

 

Sample text

Sample Text